Obs.: você está visualizando a versão para impressão desta página.
Voltar ao topoVer em Libras
« Mais recente
ImprimirReportar erroTags:governo, bit, https, redes, sociais, brasil e silvana241 palavras2 min. para ler
Cidadãos falando em moralidade, patriotismo, Deus e liberdade nas redes, livremente, é um tremendo problema para a esquerda - que quer, e precisa, do monopólio da mensagem e da leniência silenciosa do cidadão comum frente aos seus projetos nefastos.
Agora, na esteira de Cuba, Venezuela e Bolívia, é a vez da Argentina avançar com um projeto de controle das redes sociais: o governo esquerdista de Fernandéz anunciou que prepara uma proposta (cujos detalhes ainda estão em discussão) que visa "o uso das redes sociais para o bem comum" com vistas a "evitar a intoxicação da democracia" e em prol de "ambientes digitais plurais e respeitosos que favoreçam a amizade social e a qualidade do debate público". Um show de eufemismos e demagogia para esconder o óbvio: QUEREM CENSURAR O POVO ARGENTINO!

"Por mais que queiram amenizar o anúncio, a intencionalidade final deste governo é controlar o discurso político nas redes sociais (...) o documento que o governo distribuiu sobre o projeto é muito preocupante (...) [e indica] que o governo deve ter um papel sobre as opiniões", disse Silvana Giudici, integrante da Agência Nacional de Comunicação da Argentina. "Nenhum governo pode definir quais são os conteúdos que intoxicam a democracia", completou Silvana.

Lula e o PT querem o mesmo para o Brasil. Não podemos permitir que esse autoritarismo avance sobre nós também.

Poder 360: https://bit.ly/3wWhg05
Revista Oeste: https://bit.ly/3J0xDLN
Uol: https://bit.ly/35u4ydI
Terra Brasil: https://bit.ly/3xcXSMP

Este site usa cookies para melhorar a navegação.
Termos legais e privacidadeOpt-out